Ler-ouvir-ver: literatura eletrónica

Ler-ouvir-ver: literatura eletrónica

Mapeamento da literatura eletrónica em Portugal: antecedentes, exemplos históricos e estado atual. [Ligações internas para Recursos do Arquivo]


Nota: as ligações (URLs) para as entradas individuais das obras em baixo referidas estão nas imagens. Clique na imagem para abrir.


Exemplos de Antecedentes

Antologia de textos visuais dos séculos XVII e XVIII > Recolhidos e organizados por Ana Hatherly a partir de obras disponíveis na Biblioteca Nacional da Ajuda, Biblioteca Pública e Arquivo Distrital de Évora, Biblioteca Nacional de Lisboa, Arquivo Nacional da Torre do Tombo e Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra. Inclui Labirintos de Letras, Labirintos Cúbicos, Labirintos de versos, Acrósticos, Anagramas e Cronogramas, Emblemas, Empresas, Enigmas, Escrita Ropálica, Texto-Amuleto, Ecos, Centão, Lipogramas e Versos de Cabo Roto.


Anagramático > De Ana Hatherly, com quatro livros: A maldade semântica; A detergência morosa; Leonorana; Metaleitura, 1965-70.


Exemplos de Poesia Concreta, Sonora e Visual

Portugal, Camões, Comunidades [Pela Poesia Experimental] > No ‘Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades’, 10 de Junho de 2014, uma intervenção, memória, descomemoração com os conteúdos do Arquivo da PO.EX.


Revolução, Intervenção, Liberdade: Poesia Experimental > Nas celebrações dos 40 anos do 25 de Abril, uma página que permitisse reunir ligações para obras que tocam a temática da revolução, intervenção e liberdade.


A máquina de emaranhar paisagens > [Fragmento] de texto de Herberto Helder, in: Poesia experimental: 1º caderno antológico (1964)


Tudo pode ser dito num poema > Poemas de E. M. de Melo e Castro publicados em Álea e Vazio (1971) e retextualizados em XML, usando o Poemário.js


Exemplos de Videopoesia e Poesia Digital

Roda Lume > Primeiro videopoema de E. M. de Melo e Castro


Porto (trovas electrónicas) > Texto programado por Pedro Barbosa (1977, 1996), aqui em novas versões. [Emulações. Ligação para app Java. Imagens com versões impressas. Fitas perfuradas. Códigos]


Cyberliterature / Ciberliteratura (1977-1993) > Poemas gerados por computador originalmente programados por Pedro Barbosa em 1976, em nova versão organizada e programada por Rui Torres para publicação na Electronic Literature Collection Volume 3.


Computer Poetry > Silvestre Pestana programou em BASIC, primeiro para um Sinclair ZX-81 e ZX-82, e depois, já com iluminação cromática, para um Sinclair ZX Spectrum, três poemas respectivamente dedicados a Henri Chopin, E. M. de Melo e Castro e Julian Beck, que resultou na série Computer Poetry (1981-83).


Oceanografias (a memória da água) > Operação poética em computador de Antero de Alda a partir de uma relação de correspondência numérica linear com alguns significantes semântica e foneticamente próximos entre si.


Signagens > Série de 17 videopoemas realizados por E. M. de Melo e Castro na Universidade Aberta de Lisboa (1985-1989).


Big-Bang Poesia! > Intervenção de Gabriel Rui Silva, Almada.


textos cinéticos > Série de textos cinéticos de Manuel Portela escritos entre 1986 e 1995 (primeira data na descrição dos itens) e animados entre 2002 e 2004 (segunda data na descrição dos itens).


Alletsator XPTO – Kosmos.2001 > Libreto de ópera de Pedro Barbosa criado com texto electrónico sintetizado em computador (Para actores, músicos e outros animais).


Gifpoemas > Pequenos poemas animados por Antero de Alda, em desenvolvimento desde 2003.


Concretus > Animação de Tiago Rodrigues, a partir de poemas visuais seus, de Salette Tavares e de E. M. de Melo e Castro.


Amor-mundo ou a vida esse sonho triste > Texto animado, som, poema visual generativo, interactivo. Flash, Actionscript, XML. Texto de Rui Torres a partir de poemas de Florbela Espanca.


Amor de Clarice > Texto animado, som, video, interactivo. Texto de Rui Torres a partir de “Amor”, de Clarice Lispector.

Versão Flash restaurada pelo Electronic Literature Lab com Conifer

Amor de Clarice v.2


Scriptpoemas > Poemas em script, da autoria de Antero de Alda. Em construção desde 2005.


Mar de Sophia > Motor textual de Rui Torres, com som e texto animado, a partir de poemas de Sophia de Mello Breyner Andresen.


Húmus poema contínuo > Programação textual de Rui Torres com som e texto combinatório animado a partir de Húmus de Herberto Helder (1967) e Húmus de Raul Brandão (1917).

Húmus: Colagem; Montagem; Recombinação


Itinerário do Sal > Ópera electroacústica de Miguel Azguime e Miso Ensemble.


The Victims of the XXth Century > Obras de poesia programada em Javascript, por Antero de Alda.


.txt > Performance com paisagens sonoras interactivas, composição visual e coreografia em tempo real, concebida e desenvolvida por Fernando Galrito, Fernando Nabais e Stephan Jürgens.


Poemas no meio do caminho > Obra multimédia, interactiva e combinatória de Rui Torres. Motor textual, com som. Flash/Actionscript.

Poemas originalmente programados em Flash/ActionScript (Porto, 2008), recriados em 2020 com o poemario.js.


Poemas intermináveis. Videografias do lixo pós-moderno > Poemas visuais e animados por computador, de teor político, por Antero de Alda.


PoemAds – Sob o signo da devoração > Motor textual de Rui Torres, com animação e combinatória, a partir de slogans publicitários de manteigas, cervejas, águas, carros, refrigerantes, bancos, cartões de crédito, champôs, supermercados.


Do peso e da leveza > Motor textual com som, a partir de textos e léxico de Fernando Pessoa e Sophia de Mello Breyner Andersen.

Poemas originalmente programados em Flash/ActionScript (Porto, 2009), recriados em 2020 com o poemario.js.


Cantiga > Motor textual com diálogo entre cantigas medievais (a poesia do trovadorismo) e a releitura que delas foi feita por Salette Tavares. Obra programada em Flash/ActionScript, inacessível desde 2021, retextualizada em HTML+CSS+XML+JS.


Terra Google: Um Poema para Voz e Internet > Performance de Manuel Portela, 2009-2012.


Poética do Ciborgue > E. M. de Melo e Castro: Fractais; Infopoesia; Live Cinema; Performance Digital; Poesia Concreta; Síntese Genética; Transpoética 3D; Videopoesia.


O mito do robot-poeta > Paródia digital sobre o esquecimento, nas celebrações do Dia da Poesia – 21-03-2014.

O [inserir numeral ordinal] poeta artificial [inserir país] :: Homenagem a [inserir pioneiro] no Dia da Poesia


MathX (Poemário) > Versão web / sem sintetizador de voz. Uma colaboração entre André Sier e Rui Torres.


(N)(P)OVO e META(N)(P)OVO > Duas obras de videoarte de Diogo Marques e Valter Ramos.


Estou Vivo e Escrevo Sol > Poemas digitais de Rui Torres, através de António Ramos Rosa, com palavras corpos silêncios e sombras.


Fantasia breve, a palavra-espuma > Poemas digitais de Rui Torres, com combinatória textual, baseados na poesia de Ana Hatherly.


PONTOS > Obra digital de Carolina Martins, Diogo Marques, Nuno Miguel Neves, João Santa Cruz.


e-poetry > Poemas digitais de Liliana Vasques.


@gua_um conto digital > O projecto O homem que queria ser água, de Antonio Abernú, promove uma consciencialização artística em torno da ontologia da água, e inclui quatro abordagens distintas: programação de uma hipermédia e de um Alternate Reality Game; trabalho de investigação concretizado em dissertação de mestrado; espectáculo teatral.


a separação:: a(n)estesia > Poema digital de Rui Torres, com combinatória textual e sonora, a partir de propaganda e publicidade de e sobre Portugal.


Árvore > Poemas gerativos de matriz combinatória, por Rui Torres, inspirados em poemas de António Gedeão, António Ramos Rosa, Fernando Pessoa, Herberto Helder, Miguel Torga e Ruy Belo.


«era uma vez uma gata» e «interrogações» > Releituras de obras de Abílio-José Santos criadas no contexto da exposição re:A-JS (Deve ler-se reage-se). Criado com o poemario.js.


PALAVROFAGIA: variações > Obra do colectivo Wreading Digits em três momentos: Absorção, Devoração, Consumição.


Máquinas do Desassossego > Experiências textuais e visuais de Luís Lucas Pereira utilizando o Livro do Desassossego de Fernando Pessoa como base de dados textual modular para uma série de aplicações que envolvem modalidades digitais. Vídeos das Séries publicados no Instagram do autor.


Gerador de Homeóstatos > Programação textual e visual dos homeóstatos de José-Alberto Marques, aqui numa versão generativa, combinatória e interactiva programada por Rui Torres e Nuno Ferreira.


fakephone4a(n)droid > Objecto mixed-media fakephone4a(n)droid de Rui Torres.


ECO > Flashpoema de Antero de Alda: Vídeo com captura de tela.


brin cadeiras > Motor textual com som, a partir de textos de Salette Tavares e léxico de Salette Tavares e Fernando Pessoa. Poemas originalmente programados em Flash/ActionScript (Porto, 2010), recriados em 2020 com o poemario.js


o exacerbar da solidão ou mil formas de (tentar) preencher um vazio > Projeto artístico com texto gerado por computador e encenação pela companhia NAPALM


Electronic Literature Collection Volume 4 > Publicação com 132 obras de literatura eletrónica em 31 idiomas e de autores de 42 nacionalidades, dos quais 6 são portugueses:

  • aimisola.net/hymiwo.po: a poemtrack for a yet-to-be-written dance piece – Álvaro Seiça, Sindre Sørensen
  • (DES)CONEXÃO – Ana Gago, Diogo Marques, João Santa Cruz, Pedro Ferreira [wr3ad1ng d1g1t5]
  • progress in work – Bruno Ministro
  • robot sorridente – liliana vasques
  • Scriptpoemas – Antero de Alda
  • SONAR – Daniela Côrtes Maduro, Sérgio Rebelo, João Couceiro e Castro, Pedro Martins

Reconhecimento: Página criada por Rui Torres no contexto dos cursos e formações:

  • Curso “A literatura eletrónica como ferramenta pedagógica de escrita e leitura” organizada pelo Circuito – Serviço Educativo Braga Media Arts, formação acreditada por Centro de Formação (Braga, gnration, 14 outubro 2023).
  • Oficina “Ler-ouvir-ver poesia: a remediação da oralidade e da escrita na literatura eletrónica” realizada em linha no âmbito do 15.º ENAPP – Encontro Nacional da Associação de Professores de Português (Lisboa, Fundação e Museu do Oriente, 11-12 abril 2023).