O Experimental e o Barroco em Herberto Helder

Texto de Geovanna Marcela da Silva Guimarães e Izabela Guimarães Guerra Leal sobre Herberto Helder e a poesia experimental portuguesa. [Resumo. Ligação]


In > Revista Convergência Lusíada, Número 31 – jan/jun de 2014: Dossiê.

Resumo > O objetivo deste trabalho é propor uma leitura acerca da obra poética de Herberto Helder que levaria em consideração a participação do poeta na vanguarda portuguesa da Poesia Experimental (PO-EX). Esta vertente da produção herbertiana é praticamente esquecida pelos críticos, que levam somente em consideração a participação de Herberto Helder no Surrealismo Português. Além disso, destacaremos a presença da estética barroca em sua poética. Para isso, tomaremos como objeto de análise o livro A máquina de emaranhar paisagens (1963) e as revistas Poesia Experimental: 1º caderno antológico (1964) e Poesia Experimental: 2º caderno antológico (1966) que possuem dois poemas do autor: um fragmento de A máquina de emaranhar paisagens e o poema “Ascenção dos hipopótamos”. Palavras-chave > Herberto Helder; poesia experimental; barroco.

Abstract > The aim of this paper is to present an interpretation about the poetry of Herberto Helder that would take into account his participation in the portuguese avant-garde of Experimental Poetry (PO-EX). This aspect of helder’s production is practically forgotten by critics, who consider only the involvement of Herberto Helder in the Portuguese Surrealism. In addition, we will highlight the presence of the baroque aesthetic in his poetics. For this, we will comment the book A máquina de emaranhar paisagens (1963), and the journals Poesia Experimental: 1º caderno antológico (1964) and Poesia Experimental: 2º caderno antológico (1966), including two poems of Herberto Helder: a fragment of A máquina de emaranhar paisagens and the poem “Ascenção dos hipopótamos”. Keywords > Herberto Helder; experimental poetry; baroque.

Ligação > http://www.realgabinete.com.br/revistaconvergencia/pdf/3395.pdf