Obra (Re)Encontrada

Obra poética de António Aragão, Edições do Saguão, 2021. [Resumo. Índice. Ligação]


Ligação: https://www.edicoesdosaguao.pt/product/obra-re-encontrada-antonio-aragao

Título: OBRA (Re) ENCONTRADA | Autor: ANTÓNIO ARAGÃO | 1a edição | Lisboa, Edições do Saguão | Saguão 18 | 352 páginas | ISBN 978-989-54831-8-1

Organização e apresentação: Rui Miguel Ribeiro, Rui Torres, Bruno Ministro | Paginação e design: Rui Miguel Ribeiro

Nota dos organizadores: “«Figura matricial», assim testemunhada por Ana Hatherly, da Poesia Experimental Portuguesa, que podemos afirmar como uma (neo)vanguarda entre os anos sessenta e oitenta do século passado, o seu nome surge-nos, quase exclusivamente, a ela associada, e menos de forma autónoma, pela sua vasta e diversa obra individual. Uma explicação para que assim seja deve-se, em parte, ao resultado da construção de uma nova prática estética, inerentemente política, que o envolveu: as teorizações e cronologias que desde cedo houve necessidade de construir pelos próprios poetas, a fraca recepção crítica ou mesmo a sua ausência e, relativamente a esta, a pouca resposta que lhe foi dada. Mas também porque as práticas criativas de António Aragão e seus resultados envolveram sempre um movimento (com minúscula) de circulação, de diálogo(s) contínuo(s), e de constante co-laboração na pesquisa, descoberta e concretização, a par da recusa de uma ideia de artista-figura, acompanhado de uma intencionalidade sempre mais subversiva do que interventiva, mais satírica, humorística e corrosiva do que formal. Este livro surge por isso com um duplo propósito. Por um lado, assinalar o centenário do nascimento deste poeta e, com a fidelidade possível — na composição e no conteúdo —, apresentar uma selecção abrangente onde se procurou fazer sobressair a vertente poética da sua obra. Por outro, tornar patente o seu papel de dinamizador (em sentido literal e metafórico), de investigador permanente e criador em várias artes, cuja produção e capacidade mobilizadora fez coincidir diferentes artistas e poetas, ajudando a inaugurar um novo momento no panorama literário (e não só) português, na década de sessenta, prolongado de forma autónoma até hoje.”


António Aragão, Obra (Re)Encontrada, Edições do Saguão, 2021


Conteúdos:

  • TRÊS CANÇÕES e QUATRO POEMAS
  • GÉNESE e POEMA seguido de O PÚBLICO E AS NOVAS MORFOLOGIAS
  • SONETO e CANÇÃO
  • POEMA PRIMEIRO
  • A ARTE COMO «CAMPO DE POSSIBILIDADES»
  • ROMA NCE DE IZA MOR F ISMO e POEMA FRAGMENTÁRIO seguido de POESIA ENCONTRADA e [A POESIA SEMPRE VARIOU DE EXPRESSÃO]
  • INTERVENÇÃO E MOVIMENTO seguido de TELEGRAMANDO
  • [A POESIA COMEÇA ONDE O AR ACABA…]
  • MIRAKAUM
  • FOLHEMA 1
  • FOLHEMA 2
  • AB SURDANDO
  • [DIANTE DE NÃO DIZER NADA…]
  • A VIRGEM seguido de MENINAINA
  • 2 CARTAZES
  • MAIS EXACTAMENTE P(R)O(BL)EMAS
  • FAÇA O SEU AVIÃO
  • LISBOA (À NOITE) seguido de METAMORFOSE E REVOLUÇÃO
  • OVO / POVO
  • [CCAAACCCCCAA] seguido de [PARTIDA MESMO DESPIDA]
  • METANEMAS
  • HORNMARGEM
  • [ATTENTION]
  • A ESCRITA DO OLHAR
  • ELECTROGRAFIA E COMUNICAÇÃO ESTÉTICA
  • TECNOLOGIA, ARTE E SOCIEDADE
  • ARTE DO POSSÍVEL E RELIGIÃO DO IMPOSSÍVEL
  • SONETO
  • CRONOLOGIAS