Literatura na rede ou literatura como rede? Simbiose e mediação na ciberliteratura portuguesa

Bruno Ministro, Literatura na rede ou literatura como rede? Simbiose e mediação na ciberliteratura portuguesa

Artigo de Rui Torres e Bruno Ministro publicado na revista e-Letras com Vida. [Dados. Resumo. PDF]


Dados > Torres, R. e Ministro, B. (2021). Literatura na rede ou literatura como rede? Simbiose e mediação na ciberliteratura portuguesa. e-Letras com Vida — Revista de Estudos Globais: Humanidades, Ciências e Artes [e-LCV], n. 7: Literatura, Artes e Hipertexto na Web / Dossiê Temático. pp. 115-126. ISSN: 2184-4097. DOI: https://doi.org/10.53943/ELCV.2018

Resumo > Pretende-se com este artigo identificar e descrever duas formas distintas de utilização da rede no que concerne à literatura: como meio de difusão, considerado uso fraco, viabilizando arquivos, bases de dados e outros sistemas de publicação eletrónica, isto é, literatura na rede; e como meio de produção, considerado uso forte, motivando géneros emergentes, simbioses humano-máquina e mecanismos de produção ciberliterária, isto é, literatura como rede. Partindo da apresentação de exemplos do uso forte vinculados à produção portuguesa, espera-se clarificar como a tensão entre livro e ecrã, papel e luz, fixidez e variabilidade surge nesses dois diferentes modos de uso de uma forma radicalmente diferente: a rede como objeto de uso na literatura que se adapta à rede, a rede como uso de objeto na literatura que adota a rede.

Palavras-chave > Ciberliteratura; literatura; internet; rede.

URL [PDF em acesso aberto] > https://e-lcv.online/index.php/revista/article/view/196