A experiência com o soneto na poética de E. M. de Melo e Castro

dossiê E. M. de Melo e Castro da Revista do Centro de Estudos Portugueses

Artigo de Roberto Bezerra de Menezes publicado no dossiê E. M. de Melo e Castro da Revista do Centro de Estudos Portugueses. [Resumo. Ligação]


Resumo: A poética de E. M. de Melo e Castro, um dos maiores representantes da Poesia Experimental em Portugal, fundamenta-se num jogo constante com as linguagens disponíveis, da escrita à imagética, da escrita enquanto imagem, da imagem enquanto inscrição. O objetivo desta reflexão é procurar compreender a postura do poeta perante a tradição partindo de suas experimentações em torno do soneto e de sua busca pelo que chamou “poligonia total da experimentação poética”. Para isso, recorreremos à obra Poligonia do soneto (1963) e a textos teóricos e reflexivos do autor, além de outras leituras críticas.

Palavras-chave: soneto; poesia experimental portuguesa; tradição; forma.

Abstract: The poetics of E. M. de Melo e Castro, one of the greatest representatives of Experimental Poetry in Portugal, is based on a constant game with the available languages, from writing to imagery, from writing as image, from image as inscription. The purpose of this reflection is to seek to understand the poet’s attitude towards tradition based on his experiments on the sonnet and on his search for what he called “the total polygon of poetic experimentation”. For this, we will use the work Poligonia do soneto (1963) and the author’s theoretical and reflective texts, as well as other critical readings.

Keywords: sonnet; Portuguese experimental poetry; tradition; form.

DOI: http://dx.doi.org/10.17851/2359-0076.40.63.75-87

Publicado na Revista do Centro de Estudos Portugueses, v. 46, n. 63 (2020) – Dossiê E. M. de Melo e Castro.

Ver tb índice desta revista neste arquivo.