Hoje, não nos chamam escravos, mas temos dono: denúncia e libertação em Homo Sapiens e Homo Venalis de Alberto Pimenta

Hoje, não nos chamam escravos, mas temos dono: denúncia e libertação em Homo Sapiens e Homo Venalis de Alberto Pimenta

Texto de Inês Pereira Cardoso sobre a arte da performance em Portugal, suas relações com a poesia, estudando nesse contexto o trabalho de Alberto Pimenta. [Ligação]


in: eLyra – Revista da rede internacional LyraCompoetics (ISSN: 2182-8954), n. 10 (2017)


Resumo > Pensar a arte da performance em Portugal, bem como as relações que esta tem vindo a estabelecer com a poesia, conduz-nos invariavelmente ao trabalho de Alberto Pimenta. Trata-se de uma obra vastíssima e que não se constitui apenas de poesia escrita, mas também de diversos ensaios, performances, atos poéticos e happenings. Considerando o afastamento temporal entre Homo Sapiens (1977) e Homo Venalis (1991), este artigo pretende demonstrar como ambos os happenings procuram responder a problemáticas comuns, encontrando o seu ponto de convergência na iminente possibilidade de denúncia e libertação.

Palavras-chave > Alberto Pimenta, happening, performance, poesia portuguesa

Texto disponível em > http://www.elyra.org/index.php/elyra/article/view/213