Soltou-se um poema

Soltou-se um poema

António Dantas ao receber o fakephone4a(n)droid, de Rui Torres. [Imagens. Ligação]


No dia 20 de Junho de 2020, António Dantas recebeu em casa uma das peças em composição tipográfica (23.8x 32.6 cm) do fakephone4a(n)droid de Rui Torres, com 4 cartões (6.5 x 10 cm), destacáveis, assinada e numerada, sem tinta (apenas pressão, portanto quase invisíveis), realizadas em Barcelona no dia 23 de Fevereiro de 2019. Ao abrir a ofertada obra, um dos cartões (um dos poemas) soltou-se.

Escreveu o autor; “(…) a natureza corpórea dos objectos poéticos inclui também um elemento de fragilidade. Ao retirar a cartolina muito cuidadosamente da capilha soltou-se um poema. Um bonito poema. Mas no seu vazio estava um ecrã activo para interactivo diálogo.”

Eis o diálogo interactivo:


V(l)er tb >


[Agradecemos a António Dantas a autorização que permitiu disponibilizar estas imagens no Arquivo Digital da PO.EX]