Reler Alquimias. Assim que passem quinze anos

António Barros, Reler Alquimias. Assim que passem quinze anos

Artigo da autoria de António Barros, comissário convidado dos Encontros de Arte ‘Alquimias, Dos Pensamentos das Artes’, Coimbra (2000). [pdf]


Excerto da Introdução > Disse Vostell – o artista é um educador. (Wolf Vostell, “Lavadero”, Los Barruecos, edificação do MVM_Museo Vostell Malpartida, cf. “A Réplica de Wolf Vostell”, A. Cerveira Pinto, Ernesto de Sousa, Revista SEMA #2, Lisboa,1979). Este pretenso ensinamento – e que ouvi de Vostell – mereceu em mim uma atenção orientadora genuína, desenhando mesmo um percurso de vivenciação num caminho que continuadamente venho convulsivamente assumindo e questionando como “pro_gestos”. Para dar modo a um desses meus “_gestos”, reservei a passagem do milénio para revisitar esta condição da “arte agente educadora” enunciada por Vostell. E para dar corpo físico a este propósito, entendi contribuir para que se fizesse proporcionar a uma Cidade [Coimbra] uma anímica visitação antológica à Obra de um Artista que resultou pedagogicamente singular [Alberto Carneiro], a par de uma enunciação dos dizeres de Arte de uma geração em revelação emergente nessa temporalidade.