A obra de Ana Hatherly, entre ética e estética

Texto Poético, 10(16)

Artigo de Rogério Barbosa da Silva. [Resumo. Ligação]


SILVA, R. B. da. (2015). A obra de Ana Hatherly, entre ética e estética. Texto Poético, 10(16).

URI: https://doi.org/10.25094/rtp.2014n16a208

Resumo: A obra poética de Ana Hatherly revela uma escrita inquieta e labiríntica em seus temas e em suas formas. Propõe uma poesia que despoja a linguagem de suas verdades prévias e faz do leitor um cúmplice de uma aventura sígnica, buscando através dela também uma espécie de aprendizagem saborosa. Aquele processo de escrita que guarda um conhecimento que só se revela aos poucos para o artista. E o saber derivado desse processo implica uma compreensão mais aguda do poeta acerca dos seus métodos e procedimentos, acerca da linguagem frente ao passado, ou à tradição, bem como de uma descoberta estética, que pode também descortinar o futuro. Essa escrita é como uma mathesis, uma ordem, um sistema, um campo estruturado de saber (BARTHES, 2003, p. 135). Esse é o cenário que se pretende descortinar na leitura da obra poética de Ana Hatherly.