Entre a casa, o mar e a galeria. Os objetos animados de Salette Tavares

Entre a casa, o mar e a galeria. Os objetos animados de Salette Tavares

Artigo de Margarida Brito Alves acerca da produção objetual de Salette Tavares, com destaque para os seus Diálogos Criativos. [Resumo. Ligação]


Referência eletrónica > Margarida Brito Alves, « Entre a casa, o mar e a galeria. Os objetos animados de Salette Tavares », MIDAS [Online], 8 | 2017, posto online no dia 31 julho 2017, consultado no dia 03 janeiro 2019. URL : http://journals.openedition.org/midas/1251


Resumo > Partindo da articulação entre a atividade literária e a prática artística de Salette Tavares (1922-1994), e tendo em conta as múltiplas ligações que a sua obra estabelece com o quotidiano, este artigo centra-se na sua produção objetual, em particular nos designados Diálogos Criativos – um conjunto de objetos, ainda muito pouco estudado, que foi desenvolvido entre 1959 e 1971. Estes objetos assumem uma dimensão lúdica e quotidiana, correspondendo a um processo de comunicação entre a artista e algumas das pessoas que lhe eram mais próximas. Nesse sentido, são analisadas as tensões que esses objetos estabelecem entre físico e imaterial, entre pessoal e relacional, ou mesmo entre arte e vida, para além de ser abordada a relação entre os Diálogos Criativos e diversas outras obras da artista. Com base na exposição retrospetiva de Salette Tavares: Brincar – organizada na Galeria Quadrum em 1979 –, é ainda problematizada a alteração operada nesses objetos através da sua deslocação de uma esfera quotidiana para um sistema expositivo.

Palavras-chave > Salette Tavares, arte contemporânea, poesia experimental, poesia espacial, objetos do quotidiano


Abstract > Drawing from the articulation between the literary activity and the artistic practice of Salette Tavares (1922-1994), and taking into consideration the multiple connections that her work establishes with everyday life, this article focuses on this artist’s production of objects, in particular, the Creative Dialogues – a set of objects that has not yet been thoroughly studied, developed between 1959 and 1971. These objects take on a playful and everyday dimension, which corresponds to a process of communication between the artist and some of the people who were closest to her. In this sense, the tensions that these objects establish between physical and immaterial, between personal and relational, or between art and life, are analysed, as well as the relationship between the Creative Dialogues and several other works of the artist. Taking as a reference Salette Tavares’ retrospective exhibition, Brincar – organized at the Quadrum Gallery in 1979 –, this article also problematizes the change operated in these objects by moving them from an everyday sphere to an exhibition system.

Keywords > Salette Tavares, contemporary art, experimental poetry, spatial poetry, ordinary objects