O Escritor: Uma “Máquina de Produzir Desordem”

O Escritor: Uma “Máquina de Produzir Desordem”

Texto de Claudio Daniel sobre ‘O escritor’, de Ana Hatherly. [Resumo. Ligação]


Descrição > Autor: Claudio Daniel [Claudio Teixeira] | IN: Eutomia – Revista online de Literatura e Linguística, Ano II, Nº 01, pp. 143-153.


Resumo > Ana Hatherly fez uma releitura criativa da herança cultural barroca, ao mesmo tempo em que dialogou com formas e procedimentos da vanguarda internacional (e em particular com a Poesia Concreta), visando a reinvenção da escrita, mesclando recursos da literatura, da música, da pintura e outras formas de expressão. Claudio Daniel aponta o gesto transgressivo da autora ao chamar seu livro “O Escritor” de romance, uma vez que a obra escapa a qualquer definição de texto literário, questionando inclusive o conceito de literatura. Palavras-Chave: Ana Hatherly, vanguarda, barroco, labirinto.


Abstract > Ana Hatherly performed a creative rereading of the cultural heritage baroque, and at the same time established a link with forms and procedures of the international vanguard (especially with the Concrete Poetry), pursuing the reinvention of the writing, merging resources of literature, music, painting and other forms of expression. Claudio Daniel points to the transgressive gesture of the author, when she calls her book “The Writer” a novel, since it escapes any definitions of literary text and challenges the concept of literature itself. Keywords: Ana Hatherly, vanguard, Baroque, labirynth.

Ligação > https://periodicos.ufpe.br/revistas/EUTOMIA/article/view/1810