Os Papéis do Autor e do Leitor em Teoria do Homem Sentado, de Pedro Barbosa e Abílio Cavalheiro

Os Papéis do Autor e do Leitor em Teoria do Homem Sentado, de Pedro Barbosa e Abílio Cavalheiro

Dissertação de Mestrado de Ariadne Wenger sobre o SinText. [Resumo. Ligação externa]


Dados >

Autora: Ariadne Patricia Nunes Wenger | Título: Os Papéis do Autor e do Leitor em Teoria do Homem Sentado, de Pedro Barbosa e Abilio Cavalheiro | Grau e Universidade: Mestrado em Teoria Literária, Centro Universitário Campos de Andrade – Uniandrade | Local e data: Curitiba 2021 | Orientação: Profa. Dra. Verônica Daniel Kobs

Resumo >

A presente dissertação tem como objetivo analisar os papéis do autor e do leitor em Teoria do homem sentado, um livro eletrônico criado por Pedro Barbosa e Abilio Cavalheiro e lançado em 1996. Para atingir essa meta, num primeiro momento, faz-se uma explanação sobre a escrita, os suportes do pensamento, o livro (desde os escribas até Johannes Gutenberg), as impressões e os seus aperfeiçoamentos técnicos e o processo de transição do livro impresso para o eletrônico. Devido ao fato de o objeto de estudo se tratar de livro eletrônico, considerou-se essencial a abordagem dos temas inteligência artificial e algoritmos. Na sequência, discute-se sobre as novas formas de criação literária e o surgimento de gêneros digitais, dentre eles o texto gerado por computador, o que deu origem à literatura generativa. Esta surgiu no momento em que arte literária e computador convergiram. Trata-se de uma nova proposta de criação literária iniciada em meados da década de 1970. Pedro Barbosa iniciou seus experimentos com o objetivo de usar a máquina para expandir e ampliar as capacidades criativas humanas. Na literatura generativa, o autor, que precisa ter algum conhecimento de programação e uma noção de texto potencial/múltiplo/variacional, elabora um programa por meio do qual a máquina irá gerar os textos narrativos. A semente conceitual de Teoria do homem sentado constava teoricamente na obra Arte e computador, de Abraham Moles, mentor, orientador e incentivador de Pedro Barbosa, que o estimulou a perseverar em seu propósito. Consideramos, para a presente pesquisa, que Pedro Barbosa utilizou principalmente os conceitos das atitudes estética crítica, criação abstrata e arte permutacional, como base teórica para produzir e propor o SinText. Para atingir o objetivo de definir o papel do autor, em Teoria do homem sentado, foram utilizados os conceitos de: autor-criador, de Mikhail Bakhtin; escritor, de Roland Barthes; meta-autor, de Jean-Pierre Balpe; e autor/escrileitor, de Pedro Barbosa. Para o papel do leitor e seus diferentes tipos, foram considerados: a teoria do efeito estético, do leitor implícito e as abordagens de primeiro e segundo planos, de Wolfgang Iser; a análise da escrita, da leitura e o prazer do texto, de Roland Barthes; o estudo do eixo diegético indeterminado/virtual e o processo de engramação, de Jean-Pierre Balpe; o perfil cognitivo do leitor imersivo/virtual/ubíquo, de Lucia Santaella; e, finalmente, o escrileitor, de Pedro Barbosa. Além disso, a autora da presente dissertação atuou como escrileitora, a fim de consolidar a proposta de Pedro Barbosa e Abilio Cavalheiro. Para finalizar, é trazida uma breve abordagem sobre o tom irônico presente nos textos gerados para Teoria do homem sentado, que permanece muito atual. Ao fim desse percurso analítico, conclui-se que Teoria do homem sentado é uma literatura generativa surgida na pós-modernidade e cujo autor desempenha dois papéis: o de criador do algoritmo literário e o do programador informático. Já o leitor pode atuar tanto numa posição passiva de leitura quanto como cocriador, sendo considerado, neste caso, escrileitor.

Palavras-chave > Pedro Barbosa e Abilio Cavalheiro. Teoria do homem sentado. Literatura generativa. Autor. Leitor.

Download (site UNIANDRADE) >