Ana Hatherly — Poeta Chama Poeta

Ana Hatherly — Poeta Chama Poeta

Exposições de Ana Hatherly na Póvoa de Varzim e em Lamego, com curadoria de Joana Valsassina, integrantes do Programa de Exposições Itinerantes da Coleção de Serralves. [Descrição. Ligações. Roteiros e brochuras]


Ana Hatherly, Poeta chama poeta I, 1989. Col. Fundação de Serralves — Museu de Arte Contemporânea, Porto. Aquisição em 1998. Fotografia: Filipe Braga

Imagem: Ana Hatherly, Poeta chama poeta I, 1989. Col. Fundação de Serralves — Museu de Arte Contemporânea, Porto. Aquisição em 1998. Fotografia: Filipe Braga


Descrição >

[Fonte: https://www.serralves.pt/ciclo-serralves/poeta-chama-poeta/]

A exposição Ana Hatherly. Poeta chama poeta apresenta um conjunto de obras de Ana Hatherly (Porto, 1929 – Lisboa, 2015) pertencente à Coleção de Serralves que permite reconhecer as linhas de investigação artística fundadoras do seu singular percurso em torno da plasticidade da escrita.

Artista, poeta, ensaísta, realizadora, investigadora e professora, Ana Hatherly dedicou-se a um conjunto amplo de disciplinas e formas de criação, destacando-se no contexto artístico a partir dos anos 1960, enquanto figura central da Poesia Experimental Portuguesa, da qual foi uma das principais teorizadoras. A ancoragem histórica deste movimento de vanguarda deve-se fundamentalmente à profunda investigação que Hatherly desenvolve em torno da poesia barroca portuguesa e o seu fascínio pela produção cultural deste período virá permear toda a sua obra artística, literária e académica. O seu universo de referências é, contudo, bem mais vasto: partindo do estudo da caligrafia oriental a artista encontra na escrita “uma forma de representação muda da fala, que é, na verdade, desenho”. A partir daqui, enquanto desenho e o desenho enquanto poesia serão a base da prática artística de Hatherly ao longo de mais de cinco décadas.

Poeta chama poeta destaca a importância do diálogo na obra de Ana Hatherly, não apenas com artistas e poetas da sua geração, mas com criadores de períodos e geografias distantes, seja com Camões e Deleuze, ou com os anónimos criadores da escrita chinesa arcaica e do graffiti contemporâneo. A exposição, concebida propositadamente para o Cine-Teatro Garrett na Póvoa de Varzim no contexto do encontro literário Correntes d’Escritas, reúne obras icónicas da artista, raros objetos escultóricos, publicações marcantes e alguns trabalhos inéditos, que revelam como Ana Hatherly tece este intricado diálogo criativo na sua prática artística.

Esta exposição, com curadoria de Joana Valsassina, integra o Programa de Exposições Itinerantes da Coleção de Serralves que tem por objetivo tornar o acervo da Fundação acessível a públicos diversificados de todas as regiões do país.

Produção: Fundação de Serralves — Museu de Arte Contemporânea, Porto


Ligações >

Cine-Teatro Garrett, Póvoa de Varzim, 09 DEZ 2022 – 02 ABR 2023

Galeria Solar da Porta dos Figos – Casa do Artista, Lamego, 25 JUL – 01 OUT 2023


Roteiros e brochuras [PDF] >

Exposição da Póvoa de Varzim >

Exposição em Lamego >