Fernando Aguiar: As Medidas da Linguagem [Ato Abstrato – Galeria de Arte, Lisboa, 22-06 a 26-08-2021]

Fernando Aguiar: As Medidas da Linguagem

Exposição de Fernando Aguiar com obras inédtas recentes. [Info. Imagens]


Inauguração no dia 22 de julho das 18h00 às 21h00

ATO ABSTRATO – Galeria de Arte
Rua S. Sebastião da Pedreira, 68, 72 e 74, Lisboa
Terça a sexta das 18h30 às 21h00
até 26 de agosto

> https://atoabstrato.wixsite.com/mysite/fernando-aguiar


Legendas das imagens >

  • sem título, acrílico s/ polipropileno, 50×65 cm
  • ​​sem título, acrílico e ecoline s/ etiquetas autocolantes, 241×23 cm cada (pormenor)
  • “Antologia”, acrílico, cabide e capas de livros, 216×46 cm
  • ​sem título, acrílico e metro de carpinteiro s/ tela, 100×150 cm

A Ato Abstrato – Galeria de Arte, tem o prazer de informar da abertura da exposição de FERNANDO AGUIAR — As Medidas da Linguagem, que ocorrerá no dia 22 de julho de 2021, quinta-feira, das 18,00 às 21.00 horas, na Rua São Sebastião da Pedreira, 72, em Lisboa, e que estará patente até ao dia 26 de agosto de 2021.

A presente exposição é constituída por obras inéditas realizadas nos últimos anos, algumas com o recurso a antigas gravuras tipográficas que constituíram o ponto de partida para criações plásticas em papel vegetal e sobre folhas de polipropileno.

O metro articulado de carpinteiro que, de início, foi pensado para criar um objeto de homenagem a Cildo Meireles, acabou por resultar num elemento gráfico reproduzido nessas pinturas e sobre um conjunto de folhas desdobráveis de etiquetas autocolantes de grandes dimensões.

Uma das series agora apresentada, tem por base a fotografia de uma performance realizada pelo autor no Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, em 1985 . A série consiste na reprodução dessa imagem (ou a ausência dela) em tela, pintando-a sobre um fundo vermelho, com cores que causassem a estranheza possível. Recorrendo à mesma imagem, foram ainda realizados registos em papel com pintura a aguarela.

Outras pinturas inscrevem breves frases na espessura lateral da grade, que começam no lado esquerdo e terminam no lado oposto da tela, acrescentando texto ao cromatismo do espaço frontal.

A tridimensionalidade nesta exposição é conferida pelo objeto ‘Antologia’, uma colagem com capas de livros encadernadas a dourado e penduradas num cabide de madeira também dourado, e por duas esculturas em aço inoxidável.

O conjunto de obras evidencia a expressão linguística e formal de Fernando Aguiar, e de um percurso de experimentalismo estético no traçar de conceitos e de representações nas abordagens pictóricas, pelas quais tem pautado o seu trajeto criativo.


[Agradecemos a Fernando Aguiar a autorização que permitiu disponibilizar estas imagens no Arquivo Digital da PO.EX]