Apresentação e remistura do Po-ex.net - Arquivo Digital da Literatura Experimental Portuguesa

Salão Brazil, às 17h30 > 10 Dezembro 2016 + 7 Janeiro 2016 + 4 Fevereiro 2017

Sessões com debate e remistura audiovisual por Rui Torres, Ana Carvalho, Luís Aly e Luís Grifu.

localhost[s]/ Bruno Ministro, Nuno Miguel Neves, Sandra Guerreiro Dias.


Salão Brazil
Largo do Poço, nº 3 - 1º andar
3000-335 Coimbra, Portugal

O Salão Brazil é a sede do Jazz ao Centro Clube e seu espaço de programação.

+ info @ https://www.facebook.com/Salaobrazil | http://agenda7.uc.pt/


Contexto da iniciativa >

O Arquivo Digital da PO.EX como resultado de projectos: http://po-ex.net/sobre-o-projecto

Taxonomia para organização e classificação de conjunto de materiais diversificado. Sistema de organização do corpus cruzando várias tipologias de classificação. Materialidades e Transtextualidades. http://po-ex.net/taxonomia

Autores PO.EX > Autores que participaram nas publicações colectivas e históricas da Poesia Experimental Portuguesa | Autores Po-ex.net > Autores de Poesia Experimental convidados a integrar o Arquivo Digital PO.EX. http://po-ex.net/autores

Géneros da Poesia Experimental Portuguesa [Superação dos limites da teorização dos géneros, apresentando uma "atitude transgressora sobre convenções dominantes e gramáticas específicas" (Reis 2005).]. http://po-ex.net/generos

Intervenção. Exposições, mostras, ciclos e outras actividades relacionadas com a disseminação da Poesia Experimental Portuguesa.


ARQUIVO VIVO É ANARQUIVO! começou por ser uma intervenção organizada em parceria com a Livraria Gato Vadio (obrigado César e Isabel!), no Porto, com a participação do colectivo Retroescavadora: Rui Torres (apresentação, textos e selecção de poemas), Ana Carvalho (manipulação audiovisual com Modul8), Nuno F Ferreira (programação de scripts de manipulação da base de dados), Luís Aly (som e manipulação sonora) e Luís Grifu (gravação audiovisual). Teve como convidados André Sier e Bruno Ministro. Aconteceu nos primeiros sábados dos meses de Janeiro a Maio de 2015, às 17h00. O cartaz desses acontecimentos está ainda disponível aqui: http://po-ex.net/images/stories/anarquivo/POEX_final.jpg


Sobre esta intervenção escreveu Manuel Portela: «Entre janeiro e maio de 2015, através de uma série de iniciativas designadas “Arquivo Vivo é Anarquivo!”, materiais selecionados do conjunto da base de dados foram objeto de remistura, colagem audiovisual e programação, de acordo com cinco dimensões diferenciáveis das poéticas do texto: «texto-imagem», «texto-texto», «texto-som», «texto-espaço» e «texto-código». Estes procedimentos de recombinação e montagem, formalizados algoritmicamente através de scripts específicos, evidenciam a estética multimédia dos média programáveis e o modo como diversas operações das práticas artísticas experimentais se tornaram ferramentas de software, usadas hoje transversalmente nas artes da linguagem, da imagem e do som. A recodificação do arquivo analógico sob a forma de código digital permite descrever o Arquivo Digital da PO.EX não apenas como espaço de conhecimento da poética experimental, mas como espaço de invenção de uma poética do arquivo, através da qual escrita, imagem e código possam continuar a ser experimentalmente investigados.»


Sessões >

  • 10 Dezembro 2016 > TEXTOIMAGEM-TEXTOTEXTO < Rui Torres, Ana Carvalho. localhost:// Bruno Ministro.
  • 7 Janeiro 2016 > TEXTOSOM < Rui Torres, Luís Aly. localhost(s):// Nuno Miguel Neves.
  • 4 Fevereiro 2017 > TEXTOESPAÇO-TEXTOCÓDIGO < Rui Torres, Luís Aly e Luís Grifu. localhost:// Sandra Guerreiro Dias.

Arquivo Vivo