Blog-grupo experimental ou paracolectivo poético ou não-movimento: um desequilíbrio de palavras, imagens e sons criado em Coimbra em Setembro de 2007. Durante o período inicial, fizeram parte do colectivo várias pessoas, tendo depois passado a ser formado exclusivamente por Bruno Ministro, Liliana Vasques e Rita Grácio. O trabalho de escrita e performance de aranhiças & elefantes centra-se numa procura da diluição da autoria individual através do “escangalhanço”. Este processo é sintetizado no blogue do seguinte modo:

  1. as aranhiças, elefantes e colaboradores postam um poema
  2. as aranhiças, elefantes e colaboradores escangalham* esse poema
  3. a pessoa, animal ou assim-assim pega nesse poema e escangalha-o* também, e lança-o na "teia" correspondente ao post desse poema-base (que muitas vez não existe, porque já foi escangalhado* interna/anterior mente)
  4. as aranhiças, elefantes, pessoa, animal ou planta voltam ou não a escangalhar* o poema-escangalhado*
  5. assim sucessivamente
  6. *ESCANGALHAR é uma técnica ancestral que consiste em alterar os poemas-base, isto é: acrescentar-lhes palavras, versos, imagens e/ou retirar-lhes palavras, versos, imagens, em suma, ESCANGALHAR é destruir e/ou (re)criar.

Entre 2007 e 2013, o colectivo aranhiças & elefantes mantém criação regular na blogosfera e publica poemas em várias revistas e zines. O colectivo colabora com outros grupos e edita também a sua própria zine artesanal, com o título Ladrilho. Numa extensão das suas práticas de escrita colaborativa, desenvolvem sobretudo um percurso feito de p.o.erformances em diferentes cidades (Coimbra, Tomar, Caldas da Rainha, Viseu, Lisboa, Porto, Salamanca, Barcelona) e em diferentes contextos (galerias, bares, associações culturais, repúblicas de estudantes, casas ‘factory’ contemporâneas, eventos académicos, festivais).


Alguns trabalhos > Começam por fazer leituras e performances regulares no âmbito de exposições colectivas no Salão 40 (Coimbra). Passarão também pelo CITAC, Café com Arte, Galeria Ícone e Casa da Esquina (Coimbra), Centro Cultural O Século e Musicbox (Lisboa), Caldas Late Night (Caldas da Rainha), Maus Hábitos (Porto), entre outros. Alguns trabalhos em vídeo são exibidos em Coimbra, Lisboa, São Paulo e Londrina. Em Abril de 2011 produzem a expoemização de PONIs (Poemas-Objecto Não Identificados) a]fixação proibida seguida de abébia no âmbito de residência artística na Associação Cultural Arte à Parte (Coimbra). No Verão de 2011 trabalhos sonoros da sua autoria são incluídos na grelha de programação da Rádio Universidade de Coimbra e, no final de 2012, editam o álbum de poesia sonora, performativa e experimental desde que nasceu: vende-se compra-se oferece-se procura-se.


Alguns links >