In > Revista da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da UFP, 7 (2010), pp. 242-253. Porto, Ed. UFP. ISSN 1646-0502.


Da Introdução > Um dos contributos mais significativos do experimentalismo literário português dos anos 1960 foi a atitude auto-reflexiva do fazer poético. Na esteira de outros precursores, muitos poetas se ocuparam de traçar as bases teóricas das suas concepções estéticas. É este o caso de Salette Tavares, cuja atividade intelectual, intensa e dinâmica, premiou o acervo da literatura experimental portuguesa com textos teóricos relevantes. Neste artigo, apresentamos as considerações da autora a respeito da aplicação da teoria da informação à percepção estética, de Abraham Moles, num momento em que se debruçava sobre o seu próprio processo de criação e comunicação literária. 


Texto >


Ligação permanente > http://bdigital.ufp.pt/bitstream/10284/2824/3/240-251.pdf