Dados > Autor: Maria de Fátima Lambert | In: RCL - Revista Convergência Lusíada, nº 34, julho - dezembro de 2015; Dossiê Literatura e Interdisciplinaridade


Resumo > Atendendo às tipologias breves da escrita confrontam-se textos de Almada Negreiros e de Ana Hatherly, na conivência de imagéticas suscitadas por ambos os autores. O entrecruzamento vérbico-visual é matéria explicitada a partir de casos literários escolhidos na obra dos dois escritores portugueses. Privilegiando a materialização visopercecional do corpo enquanto substância multimorfa em Frisos, História verde e A invenção do dia claro, contextualizado em cenários e paisagens que o destacam. Sob auspícios iconográficos e verbais escritos e por afinidades eletivas apresenta-se um contributo para leitura das 463 Tisanas de Ana Hatherly, destacando ideias que se aproximam dos termos abordados em Almada Negreiros, assim iniciando uma via de interseções plausível em processo. Palavras-chave > iconografia; imagem; escrita; corpo; perceção visual-interior.


Texto >


Ligação permanente > http://www.realgabinete.com.br/revistaconvergencia/pdf/rev343.pdf