ANTONIO, J. L. (2014). Melo e Castro: Poesia, experimentalismos e tecnologias. In: TORRES, R. (Org.). Poesia Experimental Portuguesa: Contextos, Ensaios, Entrevistas, Metodologias. Porto: Edições UFP, p. 153-188. ISBN 978-989-643-121-1. Disponível em < http://po-ex.net/taxonomia/transtextualidades/metatextualidades-alografas/poesia-experimental-portuguesa-contextos-ensaios-entrevistas-metodologias >.


Da Introdução > E. M. de Melo e Castro é um exemplo muito significativo das negociações poéticas com diversos meios, suportes, signos e tecnologias. O percurso de sua vida e de sua obra, desde os seus primeiros poemas até os dias atuais, representa essa busca incessante e revela sempre novidades. Sua intensa atividade cultural abrange várias áreas: criação poética e artística, reflexão crítica, crítica literária e artística, viagens a muitos países, participações em movimentos poéticos, intervenções públicas (performances, conferências, artigos de opinião), associativismo (Associação Portuguesa de Escritores, PEN Clube Português), curadoria de mostras individuais e coletivas nacionais e internacionais, professor universitário, engenharia têxtil como profissional, diretor técnico, consultoria em órgãos públicos portugueses, ensino de desenho e tecnologia têxteis e autor de manuais. As suas contribuições são extremamente importantes em todas as áreas que atuou e atua, o que significa que ele pode ser estudado como poeta, teórico, crítico e como engenheiro têxtil. Seus textos - comunicados para congressos e afins, apresentações de poetas, exposições ou antologias, contribuições em obras sob temas variados, para os quais é sempre convidado, e suas próprias obras – concentram-se no desenvolvimento de suas teorias e contribuem para a compreensão do seu fazer poético, que não se dissocia do seu fazer teórico, por isso, é importante mapear as ideias essenciais de cada uma de suas contribuições.


Texto >


Ligação permanente > POEX_ebook2014_jlantonio_153-188.pdf