Natural da Madeira, António Nelos (1949-) tem o Bacharelato em Artes Plásticas e Design, pelo Instituto Superior de Artes Plásticas da Madeira, e é Licenciado em Design de Comunicação, pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa. Fez também estudos de serigrafia e design gráfico em Bruxelas.


As obras de António Nelos partem da recolha e seleção de imagens de jornais e revistas. Estes materiais são submetidos a operações de manipulação e transformação com recurso à fotocopiadora. A manipulação eletrográfica funciona como processo de transfiguração e recodificação das imagens. Da consequente deformação e desfamiliarização resultam nexos surrealistas e associações que subvertem os discursos e imagens de partida. A reinscrição de superfícies e valores cromáticos distintos num mesmo plano gráfico implica geralmente a sua rematerialização segundo a lógica formal do preto e branco. O grão da fotocópia ou a baixa resolução resultante da multiplicação sucessiva das cópias tornam-se estratégias para substituir o mimetismo referencial das imagens por uma reflexividade crítica. Por vezes, estes processos de deformação da imagem são colocados em relação com elementos verbais, contaminando as operações de colagem, montagem e reinscrição técnica da imagem com o grão da linguagem.


Principais exposições e edições > António Nelos foi co-fundador da revista Zut! (Viseu, 1983). Publicou uma selecção dos seus trabalhos em Xerolage (Wisconsin - E.U.A., 1986) e participou em Lola-Fish Nº 14 (Mainvilliers - França, 1992). Participou, entre outras, nas seguintes exposições de poesia visual: Vizioni, Violazioni, Vivisezioni (Bondeno - Itália, 1982); Exposição Internacional de Poesia/83 (Cuenca - Espanha, 1983); 1ª Bienal Internacional de Poesia Visual e Experimental do México (Cidade do México, 1985); 1ª Muestra del Livro Objecto (Sevilha, 1986); Mapas do Imaginário (Salerno - Itália, 1987); 1º Festival Internacional de Poesia Viva (Figueira da Foz, 1987); Poesia: Outras Escritas, Novos Suportes (Setúbal, 1988); Exposição de Poesia Visual Portuguesa: Concreta. Experimental. Visual. 1959-1989 (Bolonha, 1989; Paris, 1990); 3ª Bienal de Poesia Visual, Experimental e Alternativa (México, 1990); Electrografias (Setúbal, 1991) e IV Bienal de Poesia Visual/ Experimental (Madrid, 1992). Publicou Olho por olho dente por dente (1987), In nomine pater (1993), Protocolo (1993), Pravda (1993). É autor de Lugares de assento. Polí(p)tico Satírico (2002) e Novos Lugares de Assento. Polí(p)tico Satírico (2003). Colaborou em Filigrama 1 (1981) e Filigrama 2 (1982).


[Biografia escrita por Manuel Portela]