"Herberto Helder morreu. Helder é um dos poetas portugueses mais consistentes e inovadores da segunda metade do século vinte. Ainda que a sua obra mais recente tenha sido marcada por um trabalho de reformulação da linguagem que podemos considerar como um experimentalismo tradicionalista, cuja poiesis se empenha e se alicerça num vocabulário idiossincrático, não podemos esquecer a trajectória ecléctica de Helder." Ler o resto de "«Electrònicolírica» de Herberto Helder e Combinatória PO.EX" [Recensão crítica]", por Álvaro Seiça.


Recursos sobre Herberto Helder disponíveis no Arquivo Digital da PO.EX >