Reunião Científica PO.EX’70-80

De forma a ensaiar uma possível conferência dentro do projecto PO.EX 70-80, foi realizada no dia 27 de Julho de 2010, na Universidade Fernando Pessoa, uma reunião científica, organizada pelo professor Rui Torres (investigador responsável), que contou com a participação de todos os investigadores PO.EX. As onze apresentações (cada uma a durar, em média, 20 minutos) deram a conhecer, numa vertente mais prática e numa vertente mais teórica, as linhas de investigação e as diferentes pesquisas em que estão envolvidos os vários colaboradores do projecto. A reunião foi levada a cabo deixando, também, em aberto a possibilidade de, futuramente, ser publicado um livro que congregue papers resultantes das investigações que foram, provisoriamente, apresentadas neste encontro científico.

A reunião teve início às 10:00h e a primeira sessão, intitulada “Visualidade e Materialidade”, contou com a apresentação de três professores da Universidade Fernando Pessoa: Maria do Carmo Sequeira, Elsa Simões e Eduardo Paz Barroso. A professora Maria do Carmo foi o primeiro investigador do projecto PO.EX a expor, ainda que de forma provisória, as suas linhas de investigação. A sua apresentação, com o título “Fundações (ou caboucos) da literatura experimental – fronteiras e intersecções de linguagens”, teve por base as seguintes palavras-chave: teorias e práticas fundadoras; pintura e literatura. Os primeiros aspectos que mereceram a atenção da professora Maria do Carmo foram as limitações do trabalho que pretende concretizar. A oradora referiu a dificuldade de plasmar, num pequeno ensaio, todo o passado de ligações artísticas internas (em espaço português e europeu), mas também externas, tal como a relação de vários poetas e pintores com a arte chinesa, por exemplo. Em síntese, a proposta da professora Maria do Carmo caminha, justamente, no sentido de documentar toda a história de relações entre a literatura e as artes visuais. Um trabalho extenso que necessitará, com certeza, de seguidores para que possa evoluir.

A segunda oradora da reunião científica, a professora Elsa Simões, expôs as suas linhas de pesquisa numa apresentação com o título “Tradução intersemiótica: poesia concreta, mediação e transposição”. As palavras-chave desta apresentação foram as seguintes: sistemas semióticos; tradução/recriação de materiais multimédia. Como docente ligada à área da publicidade, à leitura semiótica de conteúdos publicitários e ao estudo da forma como a mensagem publicitária é traduzida para os diferentes meios comunicacionais, as linhas de investigação da professora Elsa Simões pretendem dar resposta a vários pontos no âmbito do projecto PO.EX: análise da relação da literatura com outras artes; tradução de textos teóricos já existentes; propostas de tradução intersemiótica de um corpus seleccionado dentro do projecto PO.EX; produção de textos teóricos e de análise sobre material apresentado.

O último orador, dentro da sessão “Visualidade e Materialidade”, foi o professor Eduardo Paz Barroso. A sua apresentação teve alguns pontos de contacto com a exposição da professora Maria do Carmo, algo que até se pode compreender através das palavras-chave: relação da literatura com outras práticas artísticas; terceiro cinema; pintura. O professor Eduardo Paz Barroso começou por lembrar que, quando olhamos para um quadro, somos imediatamente remetidos para duas instâncias muito fortes que marcam o contacto com uma obra de arte: o suporte e a textura. Independentemente das roturas inerentes às várias vanguardas, a questão da textura ganhou uma enorme evidência, sendo a arte Pop o exemplo mais paradigmático disso mesmo. Este foi o preâmbulo construído pelo professor Eduardo Paz Barroso para, então, expor, de uma forma tripartida (estado da arte, corpus e metodologia) o campo de pesquisa intitulado: “Entre construção e desconstrução: Gesto escrita e signo na pintura portuguesa dos anos 70”.

No final da primeira sessão, houve ainda tempo para alguma discussão e troca de ideias. O professor Manuel Portela, investigador do projecto PO.EX na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, foi o primeiro a deixar algumas sugestões à professora Elsa Simões e ao professor Eduardo Paz Barroso.

A segunda sessão, que teve início às 11:30h, foi reservada à temática “Leitura e Ensino”, estando esta, naturalmente, inserida no âmbito do projecto PO.EX. O primeiro orador a apresentar as suas linhas de investigação foi Fabiano Silva (Doutorando na Universidade Fernando Pessoa). O seu trabalho de investigação, com o título “Uma possível taxonomia de leitura em ciberliteratura: lendo a PO.EX.”, apresentou as seguintes palavras-chave: ciberliteratura, leitura, interpretação e recepção; taxonomias e classificação. O investigador Fabiano Silva abordou, na sua apresentação, as novas perspectivas respeitantes à leitura e à forma como ela deve ser integrada no ensino. Esta apresentação serviu para pensar e encarar uma criação literária cada vez mais dinâmica, hipertextual e hipermediática.

De uma forma bastante breve e sucinta, Maria do Céu Melro (Doutoranda na UFP e responsável pela Biblioteca Multimédia) relatou aos presentes as suas linhas de investigação dentro do projecto PO.EX. Maria do Céu Melro disse estar interessada em concentrar-se na fabricação poética, quer na sua criação, quer na sua recriação, focando-se em autores como Melo e Castro e a sua vídeo-poesia, Fernando Aguiar e a sua poesia visual, Pedro Barbosa e a sua poesia combinatória, Ana Hatherly e os seus graffiti. A investigação em causa tem como palavras-chave: processos de criação e recriação; vídeo-poesia, poesia visual, poesia combinatória e graffiti; processos de recriação; transposição, remediação, re-textualização e re-escrita.

Para falar de “mundos virtuais colaborativos” (CVEs), esteve presente João Donga (Doutorando na Universidade Fernando Pessoa). A tese de Doutoramento deste terceiro orador, dentro da segunda sessão, concentra-se, precisamente, na análise do potencial dos “ambientes virtuais colaborativos”, quer na área da educação, quer na área das artes. João Donga explicou o que são “mundos virtuais colaborativos” (exemplo do Second Life) e de que forma eles podem ser vantajosos em determinados contextos. A ideia que ficou explícita foi a de utilizar um CVE dentro do projecto PO.EX, com o objectivo de divulgar e partilhar informação. Esta apresentação teve como título “Mundos virtuais e sua aplicabilidade nas humanidades” e as palavras-chave foram: mundos virtuais colaborativos (CVEs); criação e divulgação de literatura, poesia, teatro, dança em CVEs.

A fechar a segunda sessão, esteve Débora Silva, da Universidade Estadual de Goiás, a apresentar a investigação que realizou e que continua a realizar para o seu Pós-Doutoramento. Estando a construir o seu Pós-Doutoramento na Universidade Fernando Pessoa e em contacto com o projecto PO.EX, Débora Silva combinou a componente do ensino e da aprendizagem da literatura com as novas ferramentas e contextos hipermédia. Um conceito bastante explorado foi, por exemplo, o de wreader (escrileitor) que, no bloco de discussão, gerou uma longa troca de impressões entre a oradora e a professora Maria do Carmo Sequeira. A apresentação de Débora Silva teve o título “Ensino de literatura em meio digital” e teve como palavras-chave: novos paradigmas do ensino-aprendizagem em hipermédia; ciberliteratura: leitura e escrita; poesia electrónica e escrita criativa.

A última sessão da reunião científica, que começou às 13:00h e terminou às 15:00h, foi inteiramente dedicada à temática “Arquivos Digitais e Preservação”. O próprio organizador da reunião, professor Rui Torres, abriu a sessão com uma apresentação intitulada “Métodos para preservação e disseminação de Literatura Electrónica”, com as palavras-chave: arquivo, variabilidade, migração, emulação, encapsulamento. A exposição do professor Rui Torres consistiu num resumo de um artigo, a ser publicado brevemente na revista Arizona Journal of Hispanic Cultural Studies. Esse artigo cuida da forma como hipertexto e hipermédia contribuem para o exercício da criação literária, acarretando com isso a necessidade de uma redefinição do conceito de arquivo.

O projecto «PO-EX ‘70-’80» enquanto edição digital de um conjunto multimodal de documentos Ana Cláudia Moutinho (Doutora em Literatura e membro da Secretaria de Doutoramentos) segue uma investigação que se preocupa com a preservação e acessibilidade ao Arquivo Digital de Literatura Experimental Portuguesa. A sua apresentação, com o título “Interacção, utilização e preservação do Arquivo de Literatura Experimental Portuguesa” teve por base as palavras-chave: acessibilidade em arquivos digitais; preservação de documentos; metadados; arquivo como recurso educacional aberto. Durante a sua apresentação, Ana Cláudia Moutinho mostrou-se bastante dedicada a pensar no acesso ao arquivo PO.EX 70-80 por parte de pessoas invisuais, ou com daltonismo, por exemplo. Outro ponto merecedor de atenção redobrada foi a inserção de metadados (de administração, descrição, preservação, técnicos e uso) no Arquivo Digital PO.EX.

O projecto «PO-EX ‘70-’80» enquanto edição digital de um conjunto multimodal de documentos O terceiro orador, dentro da terceira sessão, foi o professor José Manuel Torres, docente da Universidade Fernando Pessoa. A sua apresentação tratou, segundo palavras do próprio, a seguinte temática: “No processo de preservação e arquivo de património documental com valor cultural e histórico, armazenam-se muito frequentemente cópias digitais dos documentos originais. É prática comum haver informação de descrição dos documentos arquivados gerada, por exemplo, pelas próprias instituições e que fica associada aos diversos itens digitais que constituem o repositório. Para que seja possível um acesso efectivo a essas colecções é necessário integrar, num modelo de dados unificado, as descrições de carácter mais contextual juntamente com informação de conteúdo e com a localização desse conteúdo. Nesta linha, muito trabalho tem sido desenvolvido, por exemplo, no contexto de projectos de investigação, de esforços de normalização e de criação de produtos. O projecto MetaMedia representa um exemplo deste esforço.” A sua exposição foi feita com o título “Meta-informação na Preservação e Pesquisa de Componentes Multimédia” e as palavras-chave em causa foram: informação de descrição de documentos arquivados; modelo de dados unificado; normalização e criação de produtos; projecto MetaMedia; norma MPEG-7.

A encerrar a sessão e, por falta de tempo para perguntas, a reunião, esteve o professor Manuel Portela, investigador da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. A exposição do professor Manuel Portela, nomeada “O projecto PO.EX’70-80 enquanto edição digital de um conjunto multimodal de documentos: problemas de representação textual” apresentou várias palavras-chave: materialidade multimodal, textualidade hipermédia; dimensões performativas e intermediais das práticas literárias experimentais; problemas de representação textual. A sua investigação consiste numa reflexão, ainda em construção, sobre os problemas de representação textual levantados pelo “PO-EX‘70-80” enquanto projecto de edição digital de um conjunto de materiais documentais multimodais. Como já foi referido, a reunião teve de terminar com o professor Manuel Portela, uma vez que o plano apontava as 14:00h como fim do encontro e já eram 14:30h quando começou a sua apresentação.

Comments are closed.