Um dos primeiros sinais que a poesia visual comunica é a disposição gráfica dos significantes na página.

A espacialidade na organização do poema - a que Eugen Gomringer chamou de “constelação” - integra-se nas poéticas concretistas de rarefação da palavra.


Homeóstatos, José-Alberto Marques >


 

Releitura: http://www.po-ex.net/homeostatos/


Poesia Visual - Forma de poesia baseada na dissolução das fronteiras entre géneros literários e visuais, passando o poema a ser uma entidade híbrida e intermédia, desse modo superando a exclusividade da linguagem verbal e dos elementos tipográficos, e promovendo a sua articulação com elementos visuais e plásticos.


A reinvenção da leitura [19 textos visuais], Ana Hatherly


Algorritmos: infopoemas, E. M. de Melo e Castro


Ideogramas, E. M. de Melo e Castro


Visão Visual Vocal, Américo Rodrigues


Pode-se escrever com isto, E. M. de Melo e Castro


Lidança, Abílio José Santos



Os olhos que o nosso olhar não vê, Fernando Aguiar


Imaginando la poética, Fernando Aguiar


Escripinturas & Poesia Visual, Emerenciano


Poesia gráfica, Salette Tavares


 


Os bancos: antes da nacionalização, António Aragão


Metanemas, António Aragão


Terra beirã, terra tipografada, Jorge dos Reis


Poesia encontrada, António Aragão (+ releitura AS, PHP, RSS :: Poemas encontrados )


Corresponderá exactamente a cada nível do pensamento uma classe social?, Antero de Alda


Poemas visuais, António Nelos


Nuvens no vale [Excertos], José-Alberto Marques


PROGESTOS_OBGESTOS, 1972-2012, António Barros

Revolução

Escravos


Cras! Bang! Boom! Clang!, Manuel Portela


O dedo: poema em 22 andamentos, Fernando Aguiar